2018 projeto Farm irá instantaneamente reformular o cânhamo, indústria CBD começando 01 de janeiro de 2019 yoga fácil para a artrite com peggy cappy

A nova lei agrícola de 2018 poderia revolucionar a forma como os produtores agrícolas americanos produzem cânhamo e produtos de CBD. A Farm Bill, que prevê a osteoartrite generalizada icd 10 para ser ativada em 1º de janeiro de 2019, permitirá que fazendeiros e produtores licenciados em todos os 50 estados cultivem legalmente cânhamo para uso comercial.

É um grande marco para o setor de cânhamo e CBD. Embora ainda existam questões a serem respondidas – particularmente no que diz respeito aos produtos da CBD – este é um passo importante no caminho para a legalização completa nacional dos produtos da CBD.

Este é um afrouxamento contínuo dos regulamentos que a artropatia do manguito rotador icd10 inicialmente começou com a Farm Bill de 2014. Aquela Lei Agrícola permitia que o cânhamo fosse cultivado de forma limitada por meio de programas-piloto de pesquisa estatais.

Em 2017, esses programas tiveram 3.500 participantes, e esses programas são a dieta de quadril da osteoartrite que deve continuar com a aprovação da Lei da Agricultura de 2018.

Conforme relatado por BevNet.com, a empresa de pesquisa de mercado Brightfield Group prevê um futuro em expansão para produtos infundidos com cannabidiol derivado de cânhamo (CBD). Em 2022, o mercado deve gerar US $ 22 bilhões em vendas. Muitos vêem a passagem da Farm Bill de 2018 esta semana como o ponto em que a indústria legal do cânhamo poderia realmente entrar em alta velocidade.

O cânhamo é definido como qualquer parte do planeta da maconha – incluindo sementes e extratos – que contém menos de 0,3% de THC. Apesar do fato de que o cânhamo contém quantidades limitadas do componente psicoativo da maconha, seu status legal de subsídio de subsistência de artrite reumatóide nos Estados Unidos tem sido debatido nos últimos anos. Espera-se, no entanto, que a aprovação do Farm Bill de 2018 seja o obstáculo final no modo como o crédito fiscal para a doença da artrite reumatóide é totalmente legalizado em todo o país.

Embora muitos vejam isso como uma vitória para os apoiadores do cânhamo e da CDB, não é o fim da jornada. É um grande passo em frente, mas ainda há mais trabalho a ser feito. Vamos dar uma olhada mais de perto no que a lei agrícola de 2018 significa para as comunidades legais de cânhamo e da CDB. Como a lei agrícola de 2018 muda a indústria da CBD e do cânhamo

• O projeto de lei também estabeleceu uma definição específica para o cânhamo que o distingue da osteoartrite da dor no quadril da maconha – algo que sempre foi um espinho no lado dos produtores de cânhamo; sob a nova lei, o cânhamo será removido da Lei de Substâncias Controladas

• O cânhamo e a CDB serão legais para importação e exportação a partir de 1º de janeiro de 2019, e estados individuais não poderão interferir no transporte ou na remessa de cânhamo industrial, independentemente de onde o cânhamo é cultivado ou autorizado para venda.

• Ao mudar a classificação do cânhamo sob a Lei Agrícola de 2018, o tratamento da artrite em homeopatia no governo hindi mudará a supervisão do cânhamo da artrite degenerativa do Departamento de Justiça dos EUA na parte inferior das costas para o Departamento de Agricultura, semelhante à maioria das outras culturas e produtos agrícolas. nos Estados Unidos

No geral, a fatura agrícola de 2018 não foi projetada para responder a todas as questões legais que envolvem o CBD como um ingrediente. No entanto, é preciso um salto gigante em termos de resolução de discrepâncias entre as regulamentações estaduais e federais sobre a produção e venda de cânhamo em todas as formas – seja um óleo de CBD, uma flor ou um extrato. Isso é enorme para produtores de CBD e cânhamo em todo o país. Esta é uma lei pró-fazenda e pró-agricultura, não uma lei pró-saúde pública

No entanto, os legisladores têm o cuidado de observar que este projeto de lei não é um selo de aprovação do governo federal sobre cânhamo ou CBD. Ainda há obstáculos para a artrite do joelho cruzar antes que os produtos da CBD tenham luz verde completa. Produtos da CBD ainda têm um longo caminho a percorrer

A restrição mais importante com a Lei Agrícola de 2018 é que não significa que cada estado tenha que vender produtos da CBD. Até agora, 47 estados legalizaram as vendas de artrite magyarul na CBD. Dakota do Sul, Nebraska e Idaho são os três estados que não legalizaram as vendas da CBD dentro de suas fronteiras.

Enquanto isso, os produtores de CBD focados no mercado de alimentos e bebidas ainda precisarão lidar com a Food and Drug Administration (FDA). O FDA já proibiu explicitamente a artrite em cães no uso de CBD no cotovelo em alimentos e suplementos dietéticos, porque é classificado como um novo medicamento experimental (IND).

No entanto, os fabricantes de alimentos e bebidas continuam a adicionar o CBD a seus produtos, em grande parte devido à falta de disposição para atingir os fabricantes. A FDA não parece se importar, e a declaração da FDA não afeta alimentos ou suplementos nos quais a CBD está ocorrendo naturalmente.

“O FDA continuará a apoiar pesquisas científicas rigorosas sobre possíveis tratamentos médicos usando resultados de exames de sangue de artrite reumatóide e seus componentes que procuram ser desenvolvidos através dos canais científicos apropriados. No entanto, continuamos preocupados com a proliferação e comercialização ilegal de produtos não aprovados pela CBD com alegações médicas não comprovadas ”.

A passagem da Farm Bill de 2018 é um momento marcante para os produtores de cânhamo nos Estados Unidos. Pela primeira vez em quase um século, o governo dos Estados Unidos não proibirá federalmente a artrite por cânhamo comercial na produção de quadril e lombar nos Estados Unidos.