Crafting uma carreira de cerveja unh hoje meias de compressão para artrite

Ele claramente não estava sozinho. De 2008 a 2014, o número de cervejarias artesanais nos EUA mais do que dobrou, e um número surpreendente de ex-alunos da UNH contribuiu para o boom. Enquanto homebrewing parece ser um ponto de partida compartilhado, existem outras doenças comuns artrite associados de reumatismo que os levaram a abrir suas próprias cervejarias, como o desejo de ser inventivo – saborear uma cerveja e ser instantaneamente absorvido pela idéia de como torná-la melhor. E a chance de fazer do jeito deles, quer isso signifique fermentar com calabresa em vez de lúpulo ou adicionar sabores que frequentemente descrevem bons vinhos ou usar cinco tipos de lúpulo para apenas uma cerveja.

Beauregard estava se esforçando para aperfeiçoar sua receita para uma Índia pálida ale (IPA) quando ele descobriu o remédio natural para a artrite canina, o que mais tarde se tornaria a assinatura da cerveja Stoneface.

Em 2013, essa receita ganhou a categoria IPA no Boston Homebrew Competition. Até então, Beauregard e seu colega homebrew e co-fundador da Stoneface, Erol Moe, já falavam em deixar seus empregos de alta tecnologia para fazer negócios juntos.

Essa corrida acabou sendo forte. Instalada em um prédio industrial na saída da Spaulding Turnpike, a Stoneface Brewing Co. produziu seu primeiro lote comercial de artrite reumatóide em janeiro de 2014. Hoje, as cervejas Stoneface estão distribuídas em grande parte do norte da Nova Inglaterra. Os IPAs respondem por 65% da produção, embora Beauregard afirme que eles estão sempre experimentando. Lotes menores – one-offs – são servidos na taverna adjacente à cervejaria.

“Eu nunca estou realmente feliz com qualquer uma das nossas cervejas. Eu sempre critico o gosto, definindo o que o torna nosso ”, diz Beauregard. “Eu não penso sobre isso da perspectiva receita-para-um-molho-secreto. É mais sobre o processo. Qualquer cervejeiro pode saborear uma cerveja artrose du genou traitement naturel e dizer “eu posso conseguir algo próximo a isso”, mas não será o mesmo. São as pequenas mudanças.

Nielsen, que tem mestrado em educação física e saúde, aprendeu o negócio de cerveja na Magnolia Gastropub and Brewery, em San Francisco. Desde que retornou a New Hampshire em 2015, ele aprimorou suas habilidades na Smuttynose Brewery Co. O Migirditch, um inglês, tem uma história no ramo de restaurantes limitada por sua posição atual como gerente geral da Franklin Oyster House em Portsmouth.

Acrescente a esse momento o código da Faculdade de Ciências da Vida e da Agricultura do Departamento de Artrite do Ombro para oferecer um novo menor na produção de cerveja a partir de 2017 e a brincadeira vai, bem, plana. Enquanto o currículo ainda está em desenvolvimento, ele incluirá tópicos como arte e ciência da fabricação de cerveja, ciência e tecnologia da fermentação, ingredientes, agronomia e produção de cerveja e sourcing.

Migirditch relata o fascínio de cervejas artesanais para uma galeria de arte comestível. “Você entra e vê o que eles criaram e você quer compartilhar isso”, diz ele, acrescentando que ter vários lugares para fazer isso é bom para todos. “Você não sairia e teria três jantares, mas poderia sair e tomar três cervejas. Então, alguém pode vir aqui e ter um casal e depois ir para outro lugar. ”

Scott Thornton trabalhou como fabricante de cerveja comercial por oito anos antes de começar a fabricar suas próprias receitas em 2012. Desde então, a nanobrewery fabrica entre 1.000 e 2.000 barris por ano, vendendo-os através de cinco atacadistas de New Hampshire. A mudança para o West End de Portsmouth permitirá que a Great Rhythm se torne uma cervejaria de destino com uma sala de degustação e exercícios de ombro com vista para as águas das marés que alimentam a North Mill Pond.