‘Ela nunca virou uma criança longe daquela academia’ artrite séptica medscape

Gill conheceu Clark quando ele participou de uma de suas sessões de Kung Fu no sábado de manhã e ela era sua treinadora de kickboxing quando ele tinha apenas 12 anos e teve que mentir sobre sua idade para sua primeira luta. Tendo crescido em um distrito do centro da cidade em Prince George, onde as famílias lutavam para pagar suas contas, Gill sabe o que o clark fez para nivelar o campo de jogo para os jovens boxeadores e kickboxers que apareceram no quartel general de Shaolin no centro juvenil de Connaught.

Ao longo de seus 25 anos de história, Shaolin produziu uma longa linha de pugilistas e kickboxers que aprenderam a trabalhar com o Clark. Essa lista inclui gill, alex alvarez, edwin rodriguez, todd hatley, jag seehra, mandy lapointe, kristen josephson, lianne bunting, brian gervais, mitch ott, trent preço, anup sandhu, robert doane, armin sandhu, nathan bates, ryan smith e arleigh turner.

Clark treinou centenas de artistas marciais, kickboxers e pugilistas no ginásio shaolin. Mas não foi apenas a chance de aprender habilidades de luta e a confiança que inspirou muitos dos jovens adolescentes que compareceram às aulas. O que diferenciava o clark era sua compaixão e a estabilidade que ela proporcionava como mãe substituta. Ela era dura quando precisava ser e não tolerava desrespeito. Mas se ela visse aquele vislumbre de desejo e uma disposição para colocar no trabalho, não havia limites para os esforços que ela fazia para trazer o melhor de seus lutadores.

Josephson (cujo nome de casada é mcburnie) tinha 14 anos quando se inscreveu para as classes de boxe de Clark para meninas e em fevereiro de 1995, no auge de sua carreira amadora de dois anos, tornou-se a primeira boxeadora shaolin a ganhar B.C. Jogos de ouro. Agora trabalhando para o distrito escolar 57 como um educador aborígene, Mcburnie desenvolveu uma conexão profunda com Clark que ia muito além dos círculos de boxe.

"Ela era radical como treinador, mas se importava. Se você não tivesse as mãos para cima, ela lhe daria um pequeno tapinha na cabeça e não havia mais nada por perto, você estava lá para trabalhar. Não houve confusão e se você trabalhou duro você tem que ir para esses jogos. Nós estávamos lá porque queríamos competir e queríamos ganhar e fizemos isso acontecer para nós. Ela era um verdadeiro modelo."

O jogo de luta começou para Clark quando ela teve seu filho e filha envolvidos em kung fu quando jovens. Em pouco tempo ela se juntou às aulas e se tornou faixa preta em kung fu. No final dos anos 80, ela começou o kung fu do templo de shaolin, dividindo o ginásio connaught com o kickboxing da cobra. Enquanto Clark nunca competiu em kung fu ou boxe, ela nunca teve medo de entrar no ringue de luta.

Na época em que ela começou o clube, Clark tinha seu próprio escritório de limpeza de negócios. Em agosto de 2000, ela iniciou uma nova carreira como voluntária de atendimento a jovens, trabalhando com adolescentes na reconnect youth village, um abrigo para adolescentes no centro de amizade nativa prince george, onde ela trabalhava na época de sua morte. Ela conduziu muitos dos seus jovens clientes, homens e mulheres, para o ginásio de boxe, onde eles puderam tirar suas agressões socando as malas.

Spruce capital guerreiros boxe clube treinador treinador wayne sponagle trabalhou com Clark por mais de duas décadas tentando combinar pugilistas em cartões de boxe profissional e amador. Ele disse que suas filosofias de treinamento e treino eram um desvio do que era considerado a sabedoria convencional do boxe, mas ele sempre respeitou os esforços de Clark para desenvolver seus atletas, dentro e fora do ringue.

"Eu sempre me dava bem com betty – eu nem sempre concordei com ela, mas qualquer um que desiste do tempo que ela fez livremente com as crianças, eu respeito," disse a esponja. "Ela trabalhou duro e ela estava sempre tentando se melhorar e, portanto, tentando melhorar sua boxer. Há muito poucas pessoas que fazem isso por muito tempo, não tendo um membro da família de boxe. Ela costumava levar muitas das crianças que ela conheceu através do seu trabalho e iria levá-las para sua academia.