Fevereiro 2013 boyton community group artrite alívio para cães

Um briefing abrangerá o código Green d 9 do negócio de artrite e como todos nós podemos nos beneficiar dele – proprietários, locatários e empresas podem agora fazer melhorias de eficiência energética em sua casa / empresa – como ter isolamento sólido de paredes (onde não existem paredes de cavidades) e novos vidros duplos instalados – pagos pela economia de energia esperada em sua conta de combustível.

A boa notícia é que a Suffolk foi selecionada como um dos poucos Green Deal Pioneer Places no Reino Unido, e agora você pode obter uma Avaliação Green Deal gratuita (normalmente custando cerca de £ 100) do nosso parceiro piloto e fornecedor do Green Deal Aran Serviços, que são baseados aqui em Suffolk. Não há ajuda extra para aqueles que vivem em casa exercícios de artrite sem gás da rede e / ou em propriedades sem paredes da cavidade.

Andrew Jackson também estará dando um resumo de 5 minutos sobre o Fundo de Ação Ambiental da Comunidade e como ele pode beneficiar sua comunidade no site do SCDC para mais informações.

Este curso de treinamento gratuito de 1 dia fornece a base para a execução de um projeto de Ruas de Transição (TS), através do qual a mudança de comportamento de rua a rua é introduzida, o que beneficiará as pessoas envolvidas e o meio ambiente. Transitions Streets originou-se em Totnes sob o nome de Transition Together. Com base em 468 famílias de 56 grupos, a economia média por agregado familiar é de cerca de 570 libras por ano e 1,3 toneladas de CO2 por ano. “O maior benefício de participar foi o novo artrite social x ray pé conexões e o fortalecimento da comunidade local.” Livre para participar, mas você deve se registrar como lugares são limitados. Veja o folheto Streetwise para mais detalhes

Primeiro, alguns antecedentes: Richard Heinberg é um acadêmico americano que escreveu extensamente sobre questões ambientais e econômicas. Ele trabalha no Post Carbon Institute e seus livros anteriores incluem ‘Peak Everything’, ‘The Party’s Over’ e ‘Power Down’, que analisam o esgotamento de recursos e, particularmente, nossa dependência de combustíveis fósseis. Este novo livro de raios X de osteoartrite reúne muitas dessas questões, mas analisa-as do ponto de vista da nossa actual recessão.

• esgotamento de recursos: muitos dos livros anteriores de Richard detalham o pano de fundo para o pico do petróleo. É preocupante perceber até que ponto todo o nosso modo de vida depende dos combustíveis fósseis, da industrialização à agricultura, ao transporte, até os usos mais mundanos que tomamos como garantidos. Nossa sociedade depende da enorme quantidade de energia armazenada que está sendo liberada no uso de artrite fóssil e é o que permite ao nosso planeta sustentar uma população de sete bilhões, quando o nível sustentável é algo como dois a três bilhões . A descoberta desta fonte de energia tem sido comparada à humanidade que ganhou na loteria – infelizmente ela tem sido largamente desperdiçada para ganho a curto prazo.

• Interrupções financeiras: um elemento-chave do argumento do livro é que o sistema socioeconômico atual depende de um crescimento que não pode mais ser sustentado. A escala da economia mundial que foi criada como resultado da disponibilidade da fonte de energia barata que é os combustíveis fósseis significa que ela tem que depender da dívida; o dinheiro é criado pela dívida e para pagar os juros dessa dívida requer crescimento constante. Se os recursos da Terra são finitos, é lógico que esse crescimento não pode ser sustentado indefinidamente. Se é uma bolha que depende do petróleo e do petróleo está se esgotando, então parece que estamos alcançando esse estágio.

A osteoartrite em jovens adultos livro continua a olhar para os efeitos prováveis ​​de inovação e substituição. Tendo chegado à conclusão de que estas não podem colmatar as lacunas que começam a mostrar vitaminas para a artrite nas mãos, analisa alguns cenários possíveis, se nada for feito para mudar a forma como vivemos. Em seguida, ele se move para examinar possíveis abordagens para gerenciar o problema. A conclusão é que devemos procurar criar uma sociedade sustentável com uma economia estável baseada no uso mais responsável de nossos recursos naturais.

Isso é tudo muito bem, mas levanta a questão de por que isso não está sendo tratado de maneira séria pelos governos do mundo. Uma parte interessante do livro analisa por que isso pode ser o caso. Ele cita pesquisas que mostram que o comportamento egoísta é um mecanismo de sobrevivência inato que é inserido em nossos cérebros: preferiríamos muito mais receber uma recompensa de curto prazo do que planejar com antecedência. Existe alguma esperança? Há comportamentos aprendidos de autocontrole e empatia pelos outros, mas a conclusão deprimente é que a visão egoísta de curto prazo provavelmente prevalecerá até o momento em que a situação se agrave na medida em que a ação é melhor do que nenhuma ação. Infelizmente, até então os flashes de artrite reumatóide pode muito tarde!