Paquistão em uma encruzilhada orientalreview.org artrite luvas cvs

A República Islâmica do Paquistão está constantemente mudando suas políticas – tanto domésticas quanto estrangeiras. Observadores de fora estão colocando a mudança em transição democrática e um populismo de estilo asiático. Isto é parcialmente justificado, já que as recentes eleições parlamentares foram relativamente transparentes e o vencedor – o atual primeiro-ministro, Imran Khan – optou por combater a corrupção, melhorar o bem-estar de todos os segmentos da população e pragmatismo em sua pré-eleição. -campanha eleitoral.

Em 9 de dezembro, ele anunciou um novo roteiro para o desenvolvimento econômico do país nos próximos seis a nove meses. Os pontos-chave do programa são um clima amistoso para os investidores estrangeiros, uma redução nas injeções de gel para artrite entre a importação e a exportação de mercadorias e uma saída para a prolongada crise econômica que desvalorizou a rupia paquistanesa.

O status de Caxemira continua a ser uma importante questão de política externa para o Paquistão. Segundo o Dr. Syed Nazir Gilani, Secretário-Geral do Conselho para os Direitos Humanos de Jammu e Caxemira, um relatório sobre a situação publicado pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos em junho de 2018 mostra que a ONU tem um interesse considerável na questão da Caxemira. violação dos direitos humanos pelas forças de segurança indianas nos últimos 40 anos. A informação mais notável no relatório é o número de forças armadas indianas na região, espondiloartropatia soronegativa icd 10 – entre 500.000 e 700.000 – tornando a Caxemira uma das zonas mais militarizadas do mundo.

A Índia continua a ser considerada como a mais perigosa rival regional, especialmente devido ao número de contratos de ayurveda com artrite de defesa e de tecnologia de uso duplo entre a Índia e os EUA, e a Índia e Israel. Islamabad acredita que Washington está interessado em uma parceria próxima com Nova Deli, já que a Casa Branca poderia usar a Índia para influenciar indiretamente o Paquistão e a China. Ou pelo menos envie certos sinais.

No entanto, o governo paquistanês está tomando medidas para normalizar as relações com seu vizinho oriental. No final de novembro, começaram as obras no corredor de Kartarpur, que permitirão aos sikhs que vivem na Índia acesso livre de vistos ao segundo lugar mais sagrado de sua religião (o primeiro é o Templo Dourado em Amritsar, também na Índia). mas localizado longe do remédio natural artrite cão fronteira do país com o Paquistão). Até mesmo a Índia observou que o novo corredor ajudará a resolver questões contenciosas entre os dois países.

O Afeganistão é outra área problemática. A instabilidade crônica e a insurgência no país levaram a um enorme influxo de refugiados no Paquistão e à necessidade de um controle cuidadoso da fronteira afegã-paquistanesa, que tem 2.670 km de extensão (igual ao comprimento de toda a UE) e passa direto pelo meio. de áreas populosas em alguns lugares (já que os britânicos não levaram em conta fatores étnicos ao demarcar a fronteira, a Linha Durand cortou o povo pashtun em dois) e através de regiões montanhosas remotas em outros, com artrite reumatóide soronegativa e 10 caminhos que poderiam ser usado por intrusos em potencial. Estes poderiam incluir contrabandistas e artrite radical deutsch radicais interessados ​​em recrutar jovens paquistaneses ou em organizar ataques terroristas.

No entanto, a questão do Afeganistão deve, em primeiro lugar, ser resolvida internamente, o que significa que o Taleban e o governo devem alcançar um grau de consenso. Apoiar o processo de negociação, que também envolve a Rússia, é, portanto, uma prioridade para os políticos paquistaneses. As visões de Moscou e Islamabad são praticamente idênticas – não há solução militar para a crise afegã.

E quando o presidente dos EUA, Donald Trump, enviou uma carta ao primeiro-ministro do Paquistão pedindo ajuda para resolver o conflito da artrite em jovens adultos no Afeganistão, o Paquistão não o considerou como um exemplo da imprevisibilidade de Trump, já que ele havia ameaçado Islamabad com sanções. exemplo da fraqueza de Washington e uma confirmação da importância do Paquistão na região.

Comentando como o Paquistão continuará, dada a mudança no comportamento do presidente dos EUA, Imran Khan observou que ele não quer que seu país seja “tratado como uma arma alugada – com dinheiro para combater a guerra de outra pessoa”. Sua declaração se tornou uma espécie de meme na sociedade paquistanesa, onde há uma consciência crescente de que a amizade com Washington muitas vezes vem com surpresas desagradáveis. O primeiro-ministro do Paquistão, Imran Khan

A situação com a China é bem diferente das luvas de artrite amazônicas. Tem apoiado o Paquistão desde os anos 1990, inclusive com a transferência de armas e tecnologias de uso duplo, e continua a investir pesadamente no país. O Corredor Econômico China-Paquistão (CPEC), que liga Porto de Gwadar (operadora da República Popular da China) a Kashgar, na Região Autônoma de Xinjiang-Uygur, na China, poderia ser chamado de analgésico para cães com projeto de artrite do século. Entre outras coisas, o CPEC modernizará completamente a infraestrutura de transporte do Paquistão. Após a visita de Imran Khan à Arábia Saudita, o reino também confirmou sua disposição de investir no projeto. O próprio corredor está sendo referido no Paquistão como um “jogo de mudança”. Daí o aumento do nível de interesse de outros países.

O projeto está causando uma certa inquietação em outro dos vizinhos do Paquistão, no entanto – a artrite da República Islâmica do Irã associa a Kingsport. Como os sauditas são os principais concorrentes geopolíticos de Teerã, tudo o que Riad faz no Paquistão é visto pelos iranianos como um possível desafio. Dado que o Irã está trabalhando com a Índia para desenvolver o Porto Chabahar no Golfo de Omã e exportar petróleo para lá, os iranianos também não estão satisfeitos com a expansão do porto de Gwadar. Soma-se a isso a questão do separatismo baluchi, mas isso afeta igualmente o Irã e o Paquistão. Islamabad já adotou uma política equilibrada em relação ao Irã, Arábia Saudita e outros países do Oriente Médio, e é improvável que o novo governo deliberadamente agite o barco.

A Rússia também ocupa um lugar especial na nova política do Paquistão. Embora a cooperação em defesa e segurança tenha avançado consideravelmente, é dada clara prioridade à Índia na política externa de Moscou em relação ao sul da Ásia. Isso pode ser visto tanto nos principais documentos estratégicos sobre a política de diretrizes para o tratamento da osteoartrite do ombro externo (incluindo desenvolvimento econômico) e segurança, quanto na sua implementação prática. Mas considerando a localização do Paquistão (a geopolítica Rimland que é o cinturão costeiro do sul da Eurásia), sua crescente importância como centro de transportes graças ao CPEC, seu enorme potencial de recursos e as políticas racionais e pragmáticas que Islamabad vem demonstrando recentemente, o russo é artrite reumatóide O governo perigoso deve aumentar seu envolvimento em todos os possíveis projetos conjuntos e sugerir opções alternativas ao Paquistão que foram testadas e experimentadas ao longo de muitos anos de experiência. Reposts são bem-vindas com a referência à REVISÃO ORIENTAL.