Residente de Loveland matt brennan cimeira montanha mais alta na antártica loveland revista artrose joelho

Um dos lugares mais desolados e implacáveis ​​da terra, Vinson eleva-se a imponentes 16.050 pés acima do gelo, da neve, do vento e do frio, tão duros que nada pode sobreviver. É realmente um dos lugares mais inóspitos nas luvas de artrite do planeta, com o pinguim mais próximo a trezentas milhas de distância. Mt. Vinson, também conhecido como Vinson Massif, é o pico mais alto da Antártida e só foi escalado por 1.200 escaladores. Ameaça mente e corpo igualmente.

Para Matt Brennan, residente de Loveland, Vinson está agora no retrovisor. Depois de 30 dias na Antártica, repleto de atrasos, lutas e triunfos, ele chegou ao ponto mais alto da Antártida em 10 de dezembro. Brennan voltou para Ohio com todos os dez dedos (a maioria intacto) a tempo de se preparar para o retorno ao Everest em apenas poucos meses.

Localizado 660 milhas náuticas da dor no quadril osteoartrite do Pólo Sul durante a noite, MT. Vinson é o pico mais alto da Antártida e um dos famosos Sete Cumes – as montanhas mais altas de cada continente. Menos de 500 pessoas completaram o desafio das Sete Cúpulas, e menos de 150 americanos concluíram as sete. O morador, filantropo e empresário de Loveland, Matt Brennan, já escalou cinco dos famosos Seven Summits, com o mais alto, o Everest à frente. Seu último pico será o Monte Kosciuszko, um dia de caminhada na Austrália que ele planeja superar com sua família. Ele abordou algumas das artrites sépticas que causam as cimeiras mais perigosas e cansativas do mundo. Guia David Hahn (à esquerda) e o Residente de Loveland Matt Brennan (à direita) posam para uma selfie na Antártida

Liderados por um dos mais renomados alpinistas do mundo, David Hahn, Brennan e uma equipe de alpinistas (incluindo o famoso explorador e autor Eric Larson e o recordista de trekking solo mais rápido desde o tratamento de artrite psoriática de última geração até o Pólo Sul) partem Novembro de 2018. Era a trigésima oitava cimeira do Monte Hahn. Vinson Os alpinistas voaram da cidade portuária, Punta Arenas, para a Union Glacier, onde o clima rigoroso os mantinha ansiosos e à distância. Eventualmente, pelo avião da Twin Otter, os alpinistas se aproximaram da aristol wikipedia MT. Vinson Matt Brennan no acampamento da geleira da união

Ventos extremos, uma temperatura média de -20 ° F e luz solar constante durante a noite forçaram Brennan e seus pares a se adaptarem. A água congelou rapidamente e os alpinistas foram forçados a manter as garrafas quentes com o calor do corpo, e manejam quando inevitavelmente se tornam gelo. As primeiras duas horas de cada dia de tratamento com ervas artrite reumatóide consistia em rodar tudo o que tinha congelado (comida, protetor solar, água, creme dental, equipamento de escalada, etc) até que descongelado. A brancura total, o nevoeiro e a falta de características distorciam e apagavam toda a percepção de profundidade, tornando as distâncias difíceis de julgar. Certa noite, os ventos derrubaram treze tendas forçando os alpinistas a amontoar-se em barracas até que pudessem instalar os substitutos. Brennan disse que o vento e as temperaturas frias no Vinson Massif eram tão extremos que poderiam causar queimaduras em segundos. Um alpinista teve que recuar na primeira tentativa de cimeira, custando um dia inteiro de escalada para toda a equipe. Devido aos contratempos do tempo, a subida de sete a dez dias tornou-se uma subida de catorze dias.

“Há muita coisa que vai para a escalada, do treinamento para a logística até chegar ao aspecto físico das luvas de artrite para se manter saudável e tudo o mais que o leva ao topo e, quando você cume, é a culminação de todas essas coisas. . Para ter essas metas e atingir esse objetivo, é um momento muito especial e um sentimento como nenhum outro para ficar no topo da Antártida. Você sonhou com isso, leu sobre isso, falou sobre isso e aqui está. É uma sensação incrível.

No ponto mais alto da Antártida, na temperatura de -35 ° F, com uma visão panorâmica de artrite e osteoporose associada à pedra e à neve, Matt Brennan tinha conseguido – ele vira o sonho e o conquistara. A única tarefa que restou foi a de voltar e dezesseis dias em tendas no Glaciar da União, à espera de um avião devido ao mau tempo. Matt Brennan fica no topo do Monte. Vinson

Todo mundo na escalada desceu com o congelamento – Brennan acabou com danos nos nervos em sete dedos. Ele sofreu danos permanentes e terá que lidar com uma mão esquerda ferida para teste normal de sangue artrite reumatóide gama o resto da sua vida achados de raios-x artrite reumatóide. No Glaciar da União, especialistas em congelamento esperavam pelos alpinistas. Brennan contou uma conversa com um dos especialistas médicos:

Em apenas três meses, Brennan tentará o Everest novamente. Em março passado, o aventureiro de Cincinnati foi forçado a recuar durante sua primeira facada no Canopy of the World devido a uma lesão. No entanto, isso só lhe deu uma determinação mais forte para alcançar novas alturas. Através do financiamento de uma empresa de investimentos local, Horter Investments, ele continuará perseguindo o objetivo final dos Sete Cúpulas. Brennan mostra dedos congelados

Inquestionável e incognoscível é a artrite reumatóide, os desafios contagiantes ainda estão por vir, mas Matt Brennan está a caminho de alcançar uma meta que poucos imaginam e muitos menos conseguem. De acordo com Brennan, depois que ele terminou o desafio Seven Summits, ele planeja reduzir suas expedições e focar em palestras motivacionais e compartilhar com as crianças o que é preciso para superar até mesmo os desafios mais intransponíveis.