Responsabilidade Equine de Kentucky quando o comprador potencial toma um tombo a revista de cavalo xadrez os grilos têm artrite

Recentemente, a artrite degenerativa de Kentucky da Suprema Corte da coluna lombar tratou de questões de responsabilidade enfrentadas pelos cavaleiros de Kentucky ao oferecer cavalos para venda. A venda de cavalos para uso equitação é uma faceta comum do negócio de cavalos em Kentucky, e passeios de teste são freqüentemente parte do processo de venda. Um passeio de teste, no entanto, abre a porta para problemas de responsabilidade exclusivos. Em 1996, a Assembléia Geral promulgou a Lei de Atividade de Animais de Fazenda (“FAAA”), que ditava que os riscos inerentes aos animais de fazenda, incluindo cavalos, estão além do controle razoável dos patrocinadores, profissionais ou outras pessoas envolvidas. No entanto, esta artrite estatutária nos sintomas do pulso deixou várias exceções permitindo a responsabilidade na mesa.

Até recentemente, nenhuma jurisprudência publicada no Kentucky fornecia orientação para a aplicação dessas exceções. Em agosto de 2018, o Supremo Tribunal de Kentucky esclareceu as exceções da FAAA envolvidas com um potencial comprador montando um cavalo de vendas em Daugherty v. Tabor.

Neste caso, Daugherty e seu parceiro Adleta comercializaram cavalos para venda a partir de seus Estábulos Daugherty. A Tabor, uma potencial compradora de cavalos, entrou em contato com a Adleta através de um anúncio on-line sobre a compra de vários cavalos de passeio para o tratamento natural da dor e do inchaço da artrite reumatóide e três outros indivíduos de diferentes experiências. Durante as comunicações antes de Tabor visitar a fazenda, Tabor se apresentou como um piloto experiente e indicou que dois dos cavalos poderiam ser avançados, mas o restante deveria ser adequado para pilotos iniciantes. Quando Tabor chegou à fazenda para testar os cavalos, ela viu um funcionário estável aquecer “Flash” para ver se ele seria adequado. Ela continuou a se representar como um cavaleiro experiente e montou vários cavalos antes de Flash sem incidentes. Uma vez montado em Flash, Tabor perdeu o controle do cavalo enquanto voltava para o celeiro. De acordo com Tabor, os empregados do estábulo tentaram sinalizar o cavalo abanando os braços, o que ela alegou causar tipos de artrite nos dedos dele para mudar de rumo e galopar artrite reumatóide curar ayurveda em outra direção em um frenesi. Daugherty alega que Tabor perdeu o controle do Flash e não tomou as devidas providências por trás das rédeas para detê-lo. Além disso, Daugherty alega ter caminhado para o Flash depois que Tabor perdeu o controle, mas nega que ele ou seus funcionários tenham acenado os braços ou tentado encurralar o Flash de alguma forma. De qualquer forma, Tabor caiu de Flash durante sua prova de teste e sofreu ferimentos graves, incluindo fraturas, e entrou com uma ação contra Daugherty Stables, alegando que a fazenda violou suas obrigações sob a FAAA.

A artrite de Kentucky em alívio dos dedos Supremo Tribunal reconheceu que há casos em que os profissionais da atividade animal de fazenda têm deveres para evitar lesões e limitar a responsabilidade. Os deveres reconhecidos incluem postar sinais de alerta, certificando-se de que os pilotos em potencial sejam razoavelmente adequados para montar os solavancos da artrite dos animais de fazenda e se abstenham de atos negligentes, deliberados ou arbitrários que causem a lesão do participante. Específicos do Tabor, os profissionais da atividade de animais de criação foram obrigados a postar os sinais de alerta necessários, bem como fazer uma investigação razoável sobre a capacidade do Tabor de gerenciar o uso do Flash. A Daugherty Stables postou o sinal de alerta do Kentucky Equine Liability em sua base, conforme exigido pela FAAA. Em seguida, o padrão da FAAA para avaliar a capacidade do motociclista é se o profissional de animais de criação “determinou a capacidade do participante de se envolver com segurança no tratamento da artrite reumatóide na atividade animal hindi e gerenciar com segurança o animal de criação com base na atividade do participante. representações da habilidade do participante. ”No caso Tabor, Tabor representou a artrite gotosa como sendo um cavaleiro experiente, apesar de seu testemunho posterior de que ela exagerou. O Tribunal considerou que esta representação era suficiente para satisfazer qualquer dever que Daugherty tivesse para razoavelmente determinar que ela era adequada para montar o Flash, especialmente porque Flash era um cavalo treinado sem qualquer propensão prévia para “comportamento espirituoso”. com as mãos no Flash, isso não constituiria artrite nos dedos, qualquer violação do dever com base na própria linguagem da FAAA [ou seja, a imprevisibilidade da reação de um animal de fazenda a sons, movimentos bruscos e pessoas desconhecidas]. A Corte chegou a declarar que era “inapropriado” que a Corte de Apelações do Kentucky contradisse o estatuto e sugerisse a responsabilidade por supostamente levantar ou acenar braços de uma espondiloartrite, já que a lei inclui “movimentos repentinos” dentro da definição de “inerente”. riscos de atividades de animais de fazenda ”assumidos por participantes de atividades de animais de fazenda como Tabor. A responsabilidade por levantar os braços (se houver) ou outros movimentos repentinos ou pelo comportamento imprevisível do Flash é anulada pelo idioma da FAAA.

Em Daugherty v. Tabor, a Suprema Corte do Kentucky ofereceu orientações úteis para indivíduos envolvidos na compra e venda de cavalos. Além de publicar o sinal de alerta do Kentucky Equine Liability, antes de permitir uma viagem de teste, o vendedor deve fazer perguntas razoáveis ​​nas habilidades do potencial comprador com base no que o comprador representa sobre suas capacidades. O vendedor também deve abster-se dos comportamentos identificados como negligentes, intencionais ou arbitrários. Embora a Corte tenha parado de definir esses comportamentos na íntegra, mostrou que a Corte reconhece a imprevisibilidade dos cavalos e as medidas razoáveis ​​para reagir a um cavalo se comportando de forma imprevisível. Embora a FAAA ofereça ampla proteção contra a artrite nas atividades equinas, decisões como Daugherty versus Tabor são necessárias para fornecer orientações adicionais para aqueles que estão na indústria quando se engajam em atividades cotidianas com esses animais imprevisíveis.