Sociedade histórica de laranja, laranja, ct – dor de pé de artrite reumatóide em casa à noite

As Juniorettes, um grupo de jovens mulheres associadas às Mulheres da Comunidade Laranja, estavam trabalhando recentemente para limpar a Casa Bryan-Andrew de 1740. A casa mais antiga da cidade de Orange ocasionalmente precisa de um pó e um bom vácuo. Um trabalho adicional foi para organizar o mobiliário no sótão que é o segundo andar apenas sob o telhado. Duas camas, um tamanho padrão para o tempo e uma cama de rodízio que

vai por baixo da cama maior quando não estiver em uso, foram colocados no lugar. Cada cama foi amarrada de acordo com a tradição e foi acrescentado um colchão de penas adequado para artrite do joelho e lençóis, bem como um cobertor de lã do século XVIII. Várias das jovens colocaram as camas e os móveis para reproduzir uma típica área de dormir.

Uma observação interessante sobre as folhas é que cada uma delas é numerada com letras costuradas à mão, pois as camas dos primeiros dias diferiam em tamanho, de modo que as folhas eram feitas para cada cama e marcadas de acordo. Enquanto o interior estava sendo concluído, outro grupo de mulheres jovens carregava lenha de uma área arborizada e a artrite podia ser revertida com o exercício acumulando-a no galpão recém-construído. É um espetáculo para ser visto, tão bem feito. Com essa tarefa feita, eles limparam uma área de ervas daninhas perto das escadas e fizeram uma pequena e agradável área de jardim, completa com uma borda de pedra. A equipe da Orange Historical Society ficou entusiasmada com o entusiasmo de nossos novos amigos.

A Sociedade Histórica Laranja recentemente hospedou a Milícia do Líbano em um acampamento na Casa Bryan-Andrew. Um fiandeiro, um tecelão e um tecelão foram criados para demonstrar o artesanato dos tempos coloniais, enquanto os homens mostravam aos visitantes como usar sílex para iniciar um incêndio, fazer conchas, xícaras e outras artrites em itens de pulso e polegar usando grandes cabaças. E ainda por cima, uma equipe de marido e mulher cozinhava em uma fogueira; fazendo bolinhos de maçã fresca. Nenhum acampamento estaria completo sem o necessário tiro de mosquetes e os soldados obrigados.

O Bryan-Andrew House estava aberto para visitas com docentes em vestidos coloniais, de acordo com a época da herdade de 1740. Um destaque do passeio é o sótão recém-concluído com móveis de época, incluindo uma cama de rodízio, amarrado e pronto para um ou dois dos oito filhos do Sr. & Sra. Bryan. O pessoal da casa foi muito feliz em receber duas jovens para liderar os passeios depois de passar vários dias aprendendo sobre as várias salas e realizando passeios durante todo o dia.

Estamos no jornal novamente. Clique aqui! A lareira de 9 pés foi restaurada há vários anos e, nas várias visitas, os comentários sobre a artrite do tylenol esquentaram os convidados enquanto passeavam pela casa, sentindo como era viver em 1740 tantos anos atrás. Uma coisa ficou evidente para o empreiteiro de restauração Edd Oberg e o pedreiro Joe Carney, que o forno de colméia não desenhou corretamente. A fumaça de alguns pequenos pedaços de gravetos alcançou a sala. Após a inspeção, a equipe descobriu que a chaminé estava escondida com meia dúzia de tijolos e 2 polegadas de concreto. Eles foram trabalhar removendo o material e sem um engate, um incêndio, construído no forno decolou e queimou com grande facilidade. Os dois esperaram até que Ginny chegasse e inauguraram o forno para uso futuro. Agora, toda a lareira da sala de manutenção está pronta para o centro de artrite de Nebraska, alguns jantares preparados na lareira.

O dia 19 de outubro chegou e se foi, mas não sem visitantes entusiasmados enquanto caminhavam pela casa mais antiga da cidade de Orange. Os fogos foram acesos na sala de visitas, no salão e na sala dos visitantes, admirando o esforço feito pela OHS para trazer a osteoartrite da casa, o raio X, de volta aos seus primórdios. A doação de FC para a preservação histórica, que a sociedade recebeu, foi gasta nas paredes, ressurgindo paredes de bordas emplumadas, assentando o piso original e restaurando a lareira da sala de estar que fora desmontada em algum momento da década de 1930 e substituída por um tijolo refratário moderno. Embora as paredes laterais originais tivessem sido removidas, a lareira interna foi coberta com o tijolo amarelo e, quando removida, revelou os tijolos originais feitos à mão, como originalmente estabelecido em 1740.

Um aspecto da casa que é único é o alpendre. Conhecido por nós como um foyer, um passo para esta área da porta da frente e ser encontrado com uma parede de madeira de borda pintada emplumada na melhor cor disponível. Para a família Bryan, o azul da Prússia era a cor de escolha e, desde que as paredes originais foram removidas, a OHS comprou as antigas de uma casa em Massachusetts. Karan Oberg, historiador e artista, replicou a melhor medicação para artrite para cães da cor original, usando uma seção de porta que já havia sido coberta com papel de parede.

A casa está disponível para famílias e grupos para um passeio, uma reunião ou uma refeição. Até que a sociedade tenha instalações para oferecer comida ao público, as pessoas são convidadas a trazer sua própria refeição, comemorar um aniversário, um novo membro da família ou uma reunião de amigos e familiares. A atmosfera é tão convidativa e traz de volta aos tempos tranquilos, onde a agitação não fazia parte do estilo de vida diário do século XVIII.

A sociedade tem a sorte de ter encontrado dois empreiteiros de restauração para o interior com Joe Carney, um mestre pedreiro e retoque das paredes de madeira e colocação dos pisos por Edd Oberg. O código original para a restauração da artrite no quadril, nos últimos 14 anos, foi habilmente tratado por Wess Corjuc, da Historic Preservation, e seu irmão Joseph.

A casa de Nathan Bryan-William Andrew estava fervilhando no dia 4 de novembro com visitantes da Red Hat Society. Reunindo-se uma vez por mês, as mulheres foram convidadas a trazer o almoço para a casa de 1740 para desfrutar da atmosfera do século XVIII. Enquanto o tempo está ficando frio, a grande lareira da sala de recepção acolheu o grupo, dando uma verdadeira sensação de viver no passado.

Cercado pelas recentes restaurações de paredes de gesso e pisos originais, o cheiro de sopa de milho e uma salada de outono com seu toque colonial de artrite cranberries das fotos do quadril e alface frondosa completaram a maravilhosa experiência que os membros Kathy Steinberg, Jan Clarke e Ginny Reinhard apresentado às senhoras.

Apenas alguns dias depois, 21 membros da área de artrite reumática Associações históricas se reuniram em casa para discutir preocupações comuns e como apresentar a história ao público e maneiras de incentivar os sistemas escolares a organizar excursões pelos vários edifícios que cada uma das sociedades possui ou gerencia.

Aqui em Orange, temos 3 desses edifícios e precisamos garantir a cooperação de nossa administração escolar. Uma recente viagem da Tropa de Escoteiros 922 foi um grande prazer para 8 garotos ansiosos para ver como a casa de Bryan-Andrew, de 1740, era diferente da visita que fizeram à Casa de Pedra de 1830 no ano passado. Eles ficaram surpresos com o que viram e não viram na propriedade. Suas perguntas foram pensativas e suas respostas criativas enquanto eu as levava através de cada sala, contando sobre as famílias que moravam lá. A noite foi muito curta, mas o dever de casa era esperado.

Em maio de 1822, uma petição foi apresentada à Assembléia Geral por membros de North Milford e do significado de artrite nas comunidades árabes de West Haven para serem incorporadas como uma cidade separada. Após a resolução, uma nova cidade foi estabelecida com limites estabelecidos para abranger as duas comunidades.

Um comitê foi escolhido para selecionar um nome para a cidade e com algumas diferenças de opinião, o grupo escolheu Orange. Embora não estivesse mais ligado ao domínio britânico, com o apoio dado à colônia de Connecticut em 1687 pelo monarca inglês William de Orange, concordou-se em nomear a nova cidade em sua homenagem. Seu brasão tornou-se oficial em 1972, quando o Bank of New Haven da First Federal Savings apresentou o primeiro seletor Ralph Capecelatro com a bandeira oficial da cidade, projetada por Robert Hiza e Curt Thompson, moradores de Orange.

A Sociedade Histórica Laranja usou a porção central do brasão de armas como seu logotipo que foi representado na bandeira oficial original da cidade, mas desde então mudou para a versão original em inglês que inclui o leão e o unicórnio com outros símbolos da realeza inglesa como visto no brasão ao longo da história. O logotipo enfeita a parte inferior de cada página deste site, além de ser usado em nosso boletim informativo e nas novas camisetas.