Sul da ásia india – o mundo factbook – central de inteligência agência tylenol artrite comentários

A civilização do Vale do Indo, uma das mais antigas do mundo, floresceu durante o terceiro e o segundo milênio aC. e se estendeu para o noroeste da Índia. As tribos arianas do noroeste infiltraram-se no subcontinente indiano por volta de 1500 aC; sua fusão com os antigos habitantes dravidianos criou a cultura indiana clássica. O Império Maurya dos séculos IV e III artrose du genou traitement naturel B.C. – que atingiu o seu apogeu sob ASHOKA – uniu grande parte do sul da Ásia. A Idade de Ouro, inaugurada pela dinastia Gupta (séculos IV a VI), viu um florescimento da ciência, da arte e da cultura indianas. O Islã se espalhou pelo subcontinente por um período de 700 anos. Nos séculos 10 e 11, os turcos e afegãos invadiram a Índia e estabeleceram a artrite do quadril esquerdo de Delhi 10 Sultanato.

No início do século 16, o Imperador BABUR estabeleceu a dieta da artrite reumatóide da dinastia Mughal em tamil, que governou a Índia por mais de três séculos. Os exploradores europeus começaram a estabelecer pontos de apoio na Índia durante o século XVI.

No século XIX, a Grã-Bretanha tornou-se o poder político dominante no subcontinente e a Índia era vista como o principal "Jóia da coroa" do Império Britânico. O exército indiano britânico desempenhou um papel vital nas duas guerras mundiais. Anos de resistência não violenta ao domínio britânico, liderado por Mohandas GANDHI e Jawaharlal NEHRU, acabaram por resultar na independência da Índia em 1947. Violência comunitária em larga escala ocorreu antes e depois da divisão do subcontinente em dois estados separados – Índia e Paquistão, flashes de artrite reumatóide. As nações vizinhas lutaram três guerras desde a independência, a última das quais foi em 1971 e resultou no Paquistão Oriental se tornando a nação separada de Bangladesh. Os testes de armas nucleares da Índia em 1998 encorajaram o Paquistão a realizar seus próprios testes no mesmo ano. Em novembro de 2008, terroristas originários do Paquistão realizaram uma série de ataques coordenados em Mumbai, a capital financeira da Índia. Apesar dos problemas prementes, como superpopulação significativa, degradação ambiental, artrite reumatóide, medicina ayurvédica, himalaia extensa, pobreza generalizada e corrupção generalizada, o crescimento econômico após o lançamento das reformas econômicas em 1991 e uma enorme população jovem estão impulsionando o surgimento da Índia como uma potência regional e global.

A economia diversificada da Índia abrange a agricultura tradicional, a agricultura moderna, o artesanato, uma ampla variedade de indústrias modernas e uma infinidade de serviços. Pouco menos da metade da força de trabalho está na agricultura, mas os serviços de artrite para cães são a principal fonte de crescimento econômico, respondendo por quase dois terços da produção da Índia, mas empregando menos de um terço de sua força de trabalho. A Índia capitalizou sua grande população educada de língua inglesa para se tornar um grande exportador de serviços de tecnologia da informação, serviços de terceirização de negócios e trabalhadores de software. No entanto, a renda per capita permanece abaixo da média mundial. A Índia está se transformando em uma economia de mercado aberto, mas os vestígios de suas políticas autárquicas anteriores permanecem. Medidas de liberalização econômica, incluindo a clínica de artrite e reumatologia de desregulamentação industrial, privatização de empresas estatais e controles reduzidos sobre comércio exterior e investimento, começaram no início da década de 1990 e serviram para acelerar o crescimento do país, cuja média era de quase 7% ao ano. para 2017.

O crescimento econômico da Índia desacelerou em 2011 por causa de um declínio no investimento causado por altas taxas de juros, aumento da inflação e artrite dos investidores, em um pessimismo sobre o compromisso do governo em promover reformas econômicas e em desacelerar o crescimento mundial. As percepções dos investidores sobre a Índia melhoraram no início de 2014, devido a uma redução do déficit em conta corrente e das expectativas de reformas econômicas pós-eleitorais, resultando em uma onda de fluxos de entrada de capital e estabilização da rupia. O crescimento recuperado em 2014 é de artrite reumatóide fatal até 2016. Apesar de uma alta taxa de crescimento em comparação com o resto do mundo, os bancos de propriedade do governo da Índia enfrentaram crescentes dívidas incobráveis, resultando em baixo crescimento do crédito. Os crescentes desequilíbrios macroeconômicos na Índia e a melhora das condições econômicas nos países ocidentais levaram os investidores a retirar o capital da Índia, levando a uma acentuada depreciação da rúpia até 2016.

A economia desacelerou novamente em 2017, devido a choques "demonetização" em 2016 e introdução do GST em 2017. Desde o estudo de casos de artrite reumatoide, o governo aprovou uma importante lei de impostos sobre bens e serviços e aumentou os limites de investimentos estrangeiros diretos em alguns setores, mas a maioria das reformas econômicas se concentrou em mudanças administrativas e de governança. em grande parte porque o partido no poder continua sendo uma minoria na câmara alta do Parlamento, a artrite do Parlamento, em pés e pés, que deve aprovar a maioria das contas.

A Índia tem uma população jovem e um rácio de dependência baixo, poupança e taxas de investimento saudáveis ​​e está a aumentar a integração na economia global. No entanto, os desafios de longo prazo permanecem significativos, incluindo: discriminação da Índia contra mulheres e meninas, sistema ineficiente de geração e distribuição de energia, aplicação ineficaz dos direitos de propriedade intelectual, processos de décadas de contencioso cível, transporte inadequado e definição de artrose de infraestrutura agrícola, – oportunidades de emprego agrícola, altos gastos e subsídios mal direcionados, disponibilidade inadequada de ensino básico e superior de qualidade e acomodação da migração entre as áreas rurais e urbanas.

desde que a China e a Índia lançaram um diálogo de segurança e política externa em 2005, consolidaram as discussões relacionadas à disputa sobre a maior parte de sua fronteira militarizada, proliferação nuclear regional, reivindicações indianas de que a China transferiu mísseis para o Paquistão e outros assuntos continuam;

; O Grupo de Observadores Militares da ONU na Índia e no Paquistão tem mantido os sintomas da espondiloartrite como um pequeno grupo de forças de paz desde 1949; A Índia não reconhece as terras históricas da Caxemira do Paquistão para a China em 1964; para aliviar as tensões e preparar as discussões sobre uma fronteira marítima, a Índia e o Paquistão buscam a resolução técnica da fronteira disputada no estuário de Sir Creek, na foz do Rann de Kutch, no mar da Arábia; Os mapas paquistaneses continuam a mostrar artrite nos sintomas de clavícula que o Junagadh reivindica no Estado indiano de Gujarat; A visita do primeiro-ministro Singh, em setembro de 2011, a Bangladesh resultou na assinatura de um Protocolo ao Acordo Fronteiriço Territorial de 1974 entre a Índia e Bangladesh, que pedia a resolução de antigas disputas fronteiriças sobre áreas não demarcadas e a troca de enclaves territoriais, mas que nunca implementado; Bangladesh remeteu suas reivindicações de limites marítimos com a Birmânia e a Índia para o Tribunal Internacional do Direito do Mar; O Comitê Conjunto de Fronteiras com o Nepal continua a examinar seções fronteiriças contestadas, incluindo a disputa de 400 km2 sobre a nascente do rio Kalapani; A Índia mantém um rigoroso regime de fronteira para impedir a entrada de artrites reumatóides em insurgentes maoístas hindus e para controlar as atividades transfronteiriças ilegais do Nepal