Tracklist cd 2 art ‘s aniversário artrite tratamento em hindi

Radboud Mens é um artista sonoro de Amsterdã cujo trabalho está enraizado e continua a se desenvolver dentro da mais ampla definição de música contemporânea. Enquanto seu interesse pelos efeitos físicos do som no corpo dava à planta baseada na artrite reumatóide uma preferência pelo ruído em seus primeiros trabalhos, sua música posterior contribuiu mais para o desenvolvimento da música eletrônica mínima, falha e minimal-dub-techno. Mens usa tecnologia eletrônica para processar processos sonoros microscópicos audíveis. Seu mundo sonoro está em constante estado de fluxo espacial e temporal, e incorpora música eletrônica, música conceitual, sons e influências da mídia. Momentaneamente, ele está trabalhando em novas composições que são artrite reumática doença de volta associa-se entre ambiente, música de drone, música eletrônica de 60/70 e ruído eletrônico.

Para “Art’s Birthday 2008”, ele prepara uma composição curta com base em várias gravações históricas que estão sendo processadas e reprocessadas ao vivo durante a transmissão. Diferentes tipos de processamento de som digital estão sendo usados ​​para aprimorar freqüências, cores e texturas específicas. Isso resulta em uma música profunda, fria e esférica que constantemente se redefine e é representada como uma ampliação da sonoridade microscópica.

Olesya Rostovskaya nasceu em 1975. Ela estudou piano na turma de Anna Artobolevskaya na Escola de Música Central do Conservatório Tchaikovsky de Moscou. Então, de 1993 a 2000, ela completa seu estudo em Tchaikovsky Moscow State osteoartrite, significando no urdu Conservatory como compositor (Professor – o chefe do departamento de composição do Conservatório – Albert Leman) e em 2001 ela também forma o Conservatório de Moscou como organista (Professor – Oleg Yanchenko). Em 1998, ela começou a estudar jogando thereminvox com Lidya Kavina. A partir de 2003, Olesya Rostovskaya tornou-se um sineiro russo. Em 2006, ela começou a tocar carrilhão. Em 2008 graduou-se na Universidade Estadual de São Petersburgo como carillonneur (Professor – Jo Haazen) e em 2009 formou-se também na Royal Carillon School “Jef Denyn” em Mechelen, na Bélgica (Professor – Jo Haazen).

Olesya Rostovskaya tem uma enorme actividade como compositor com as suas composições para orquestras sinfónicas e de câmara, diferentes conjuntos, coro, órgão, carrilhão, thereminvox, vocal, música para teatro, rádio, música electro-acústica. Entre suas composições há “Markus – Passion”, Concerto para thereminvox e orquestra, ópera “Carriage” no livro de Nikolay Gogol e muitos outros.

Author Review: Nosso presente para este Art’s Birthday 2006 (TransDADAexpress) é mostrar em uma mão a artrite reumatóide e o clima quente DADA DOUBT (DUDA DADÁ, em espanhol) em nossa sociedade atual, onde o poder está se tornando nacional e global transnacional , mas não menos destrutivo por isso; e por outro mostrando a DADA SINCERITY (SINCERIDAD DADÁ, em espanhol) que nos foi oferecida quando ouvimos as novas linguagens não convencionais (aproximando-nos da práxis da vida). Para a realização deste “presente” usaremos como métodos criativos o DADA como a chance, ready-made, provocação pública, poesia fonética, absurdo senso de humor, simultaneidade, crítica grotesca, uso e manipulação de meios de comunicação… e reumatóide. artrite chamejar febre por que não ?, também de uma visão ANTIDADA renovável e saudável. Estrutura: há seis partes: 1-Foram usadas as instruções dadas por Tristan Tzara “Para construir um poema dadaísta” que propôs obter um jornal e um par de tesouras e recortar notícias para colocá-las em um saco, nós temos “Cortar” as notícias da rádio arthrosis deformans na internet (em inglês, francês, tcheco, russo…) e cortá-las aleatoriamente com um editor de som, nós as colocamos em uma partitura MIDI de música clássica (como costumava fazer Kurt Schwitters) para nos administrarmos como “compositores infinitamente originais, com uma sensibilidade encantadora, embora mal compreendidos pelas pessoas comuns” (Tzara). Esta parte aparece e desaparece durante todo o trabalho. 2- “Hino Transnacional, Transglobal e TransDadá”: todos os hinos do mundo são escutados ao mesmo tempo. 3- “Leilão Anti-Dadá”: O trabalho “Fonte”, de Marcel Duchamp, é colocado em leilão para ser usado como urinário e depois destruído. 4- “Flamenco Industrial TransDadá”: São o verdadeiro significado da artrite reumatóide na lamentação tamil andaluza (“Ay”) em uma sociedade pós-industrial plena e apesar dos objetivos conformistas operários. O “Ay Ay” do pioneiro da Andaluzia são mostrados: Agujetas “El Viejo”, José de los Reyes “O Negro”, Cojo Pavón, Juana “La del Cepillo” …, e o sapateado de Carmen Amaya dialogando com o industrial máquinas. 5- “Global World for sale”. Nesta parte vendemos instituições mundiais e outras coisas absurdas para grandes investidores. 6- “Black Singing na selva urbana é a osteoartrite hereditária”: os outros imigrantes da selva têm que entrar no mundo ocidental.

LEOPOLDO AMIGO PÉREZ (Cuenca, Espanha, 1956). Professor de Oficinas de Arte Sonora na Universidade Politécnica de Valência e na SGAE de Valência (Espanha). Diretor técnico e fundador do Gabinete de Música Eletroacústica de Cuenca (Espanha). Investigando visitante na Universidade de Northwestern, em Chicago, Illinois e na Universidade do Estado de Michigan, em Kalamazoo (EUA). Actualmente compositor e assistente técnico na Rádio e Televisão da Universidade Politécnica de Valência (Espanha). MIGUEL MOLINA ALARCÓN (Los Teatinos-Cuenca, Espanha, 1960) Artista intermediário que relata escultura, artrite audiovisual de quadril, arte sonora, performance e arte pública. Atualmente é professor de arte do Departamento de Escultura da Universidade Politécnica de Valência (Espanha). Diretor de R&O grupo D Laboratorio de Creações Intermedia (LCI) realizou a exibição e publicação do catálogo e CD duplo “Ruídos e sussurros em Avant Gardes: Early Sound Art Works 1909-1945” (UPV-Allegro Records, 2004) com o Recuperação do trabalho sonoro do Futurismo, Dada, Cubofuturismo, Bauhaus, Ativismo, Estridentismo, Ultraismo, Postismo …

No lugar onde estamos, ainda procurando alguma relação que nos ligue um ao outro. Mesmo sem palavras, mesmo sem movimento, sempre falando, sempre em movimento e imperceptivelmente desejando um ao outro sem desejo. (Maurice Blanchot: “Aguardando o esquecimento”)

Propusemos retornar a Robert Filliou após a ideia de artrite icd 10 pós-traumática de uma rede de amigos em dois níveis – dentro da transmissão EBU de Art’s Birthday e em um ambiente mais intimista de um evento com um público em todo o espaço da performance. Utilizando as vozes e sons produzidos no local, combinados com os materiais pré-gravados, criou-se um ambiente intrigante tanto para o público de transmissão que teve acesso a toda a obra, como para o público presente no espaço que não foi capaz de siga todo o desempenho, mas o significado de osteoartrite em tamil experimentou apenas partes do mosaico. A performance reuniu vários artistas locais – músicos, artistas performáticos, dramaturgos, multimídia e artistas visuais – profissionais e estudantes em um rádio ao vivo, principalmente improvisado, com palavras e sons, camadas de música e rachaduras de silêncio, risadas e rajadas espontâneas de ruído. Manipulação do som encontrado e criado com contrastantes intervenções textuais e vocais filtradas através da distorção do megafone, agulha de gramofone e alto-falantes lo-fi fracos, mas também edição de som digital em tempo real. Transmitido do clube cultural da Internet MaMa- Zagreb Autores: Ivan Marušić-Klif é um artista multimídia de Zagreb. Ele se formou na Escola de Engenharia de Áudio em Amsterdã. Ele faz objetos e instalações que fornecem luz; ocasionalmente, ele faz cenografias para artrite reumatóide não especificadas, apresentações de teatro, filmes e TV. Como compositor, técnico de som e produtor, ele cria música, barulhos e produção sonora para teatro, cinema e televisão, mas também para projetos artísticos de outros autores. Desde 1996, ele trabalha no campo de instalações interativas, robótica e vídeo interativo. Ele teve exposições e se apresentou na Croácia e na Europa. Ivana Ivković estuda no Departamento de Dramaturgia da Academia de Artes Dramáticas de Zagreb. Ela é membro do conselho editorial da Revista Frakcija de Artes Cênicas e também colabora com o 3º Programa da Rádio Croata, várias publicações, o Centro de Arte Dramática e trabalha com revisões de luvas de artrite como coordenadora geral de Zagreb – Cultural Kapital da Europa 3000 , um projeto organizado em conjunto pelas oito organizações culturais independentes de Zagreb, das áreas de artes cênicas, novas mídias, artes visuais, arquitetura e teoria.

Para o Aniversário da Arte 2010, Sobralasolas! foi realizado pela primeira vez como um concerto da rede ao vivo da artrite patelofemoral de Paris, icd 10, Nice, Sollefteå e Londres, misturado em Berlim. À medida que a performance se desenrola, o ouvinte descobre uma infinidade de histórias possíveis e trocas não imagináveis.

Stephie Büttrich – nascida em 4 de julho de 1968, decidiu se tornar uma acrobata vocal logo após seu primeiro grito. Então ela foi para Colônia, Berlim e Den Haag para estudar música, sons e teatro. Lá, ela encontrou um bando de pessoas com quem ela ama produzir ruídos e ficar selvagem no palco. Ela trabalhou como cantora, artista performática, compositora, produtora e acrobata da ciência vocal, antes de finalmente retornar ao seu grito primal, que na verdade era um suspiro pelo ar… Stephie Büttrich mora em Amsterdã.

Anne Wellmer é uma artista sonora, nascida para ficar com raiva na Alemanha em 1966, criada para ser selvagem nos Estados Unidos em 1970-1973 e educada para ser barulhenta nos Países Baixos em 1992-1997 e descobriu o silêncio nos EUA em 2001-2003. Entre seus trabalhos estão performances e instalações, peças de teatro musical e coreografias. Ela atua como musicista improvisadora, como definição de osteoartrite e como cantora em diversos instrumentos eletrônicos, como o VCS3 EMS Synthi, o ARP 2600, o STEIM crackle box e um laptop. Anne Wellmer vive em Haia.